• Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

CTI recebe a visita do Ministro da Ciência, Tecnologia e inovação

Evento prevê a inauguração de instalações  do Laboratório de Empacotamento Eletrônico do CTI e a Aula Magna  do novo curso ofertado pelo IFSP

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera, visitará as dependências do CTI Renato Archer amanhã, dia 16 de fevereiro, a partir das 9 h, por ocasião da inauguração das novas instalações do  laboratório da
Divisão de Empacotamento Eletrônico do CTI e em função da aula inaugural do Curso técnico em Eletroeletrônica Integrado ao Ensino Médio, oferecido pelo IFSP Campus Campinas.

Foto: Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, DR. Celso Pansera As instalações do laboratório a ser inaugurado no CTI contam com uma Sala Limpa, cujo objetivo  é capacitar o CTI em tecnologias de empacotamento eletrônico, buscando manter as tecnologias já emplantadas, e oferecer serviços tecnológicos em novos setores da  sociedade.  O projeto também busca desenvolvimento de novas tecnologias de empacotamento eletrônico.

O IFSP, no Campus Campinas,  por sua vez, passou a oferecer, a partir do primeiro semestre de 2016 o Curso Técnico em Eletroeletrônica. Voltado a alunos do Ensino Médio, o curso prevê atividades em período integral e são disponibilizadas 40 vagas.

O curso possui como proposta formar um profissional que possa atuar na área de Eletroeletrônica tanto em atividades industriais, de planejamento, de pesquisa e desenvolvimento. O Câmpus Campinas é parte do conceito de CTE (Complexo Tecnológico Educacional). Esse conceito, em elaboração de forma pioneira pelo MCTI e pelo MEC, prevê a criação de um ecossistema, resultante da convivência das instituições: CTI, IFSP, Escola Criativa, CNRTA e CTI-Tec no mesmo espaço e do seu empenho em torno de um objetivo comum: “fomentar e impulsionar processos de inovação e formar cidadãos comprometidos com o desenvolvimento social e econômico”. Esse ecossistema viabiliza a aproximação dos alunos do IFSP com os grupos de pesquisa do CTI que atuam para o atendimento de políticas públicas de esferas de Governo e possibilita que participem nas atividades ligadas ao WASH (Workshop de Aficcionados em Software e Hardware), iniciativa extensionista que busca integrar o CTE à comunidade dos bairros próximos à instituição, ofertando a esta população  oficinas sobre programação e Informática.

Essa proximidade permite que conteúdos programáticos sejam complementados por intermédio da vivência com os pesquisadores, que compartilham os resultados de seus trabalhos em eventos promovidos pelo CTI, tais como: ciclo de palestras, feiras, minicursos, dentre outros.  Através destas ações interdisciplinares são tradados assuntos como: Direitos da Pessoa com Deficiência, Resíduos Sólidos (Ambientronic), Tecnologia da Informação (Programa TI Maior), Alerta Antecipado de Catástrofes (CEMADEN), Microeletrônica, Segurança em Redes Públicas e Privadas.

São temas que estão em constante evolução e adaptação que acompanham as mudanças comportamentais, organizacionais e ambientais ao longo do tempo.
 

MANHÃ DA INOVAÇÃO: “Desafios para Inovação em Micros e Pequenas Empresas: O que impede a dinamização da inovação no seu negócio?

Foto: Logo GAIA
No dia 01 de março, o GAIA promoverá mais uma edição das “Manhãs da Inovação”, cujo tema será “Desafios para Inovação em Micros e Pequenas Empresas”.
Esta edição tem como objetivo promover a disseminação e o compartilhamento de conhecimentos de interesse das MPE e de sistemas cooperativos relacionados, tendo como foco prioritário as inovações gerenciais/organizacionais que permitam a obtenção de resultados efetivos no curto e médio prazo, além de mobilizar o estabelecimento de vínculos e parcerias com outros agentes socioeconômicos de interesse.
O evento contará com cases de empresas, além de um Painel de debates com especialistas que envolverá a participação da plateia.
Mais informações sobre o evento podem ser acessadas através do e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ou pelo telefone 19 3746-6138.
Data: terça-feira, 01 de março de 2016
Horário: das 09h às 12h
Local: Auditório do CTI – Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer, Rod. D. Pedro I, km 143,6 – Bairro Amarais – Campinas (SP)
Inscrições: As inscrições podem ser realizadas gratuitamente acessando o link.
 

Saberes e Competências dos servidores públicos federais do CTI Renato Archer

Inauguramos um espaço dedicado ao relato dos saberes e das competências dos servidores públicos do CTI Renato Archer. Esta é a primeira de uma série de matérias em que levaremos ao conhecimento da comunidade interna e externa as histórias de vida e as trajetórias profissionais daqueles que atuam no serviço público em diferentes divisões do CTI.Peças de quebra-cabeça espalhadas pelo chão com a silueta de cada pessoa em cima, mostrando que a organização é um mosaico de competências

Pretende-se dar oportunidade para que todos os servidores da instituição expressem seus saberes e competências por meio da participação no projeto, independemente de complementariedades ou sobreposições.

Ao dar publicidade a este trabalho, o CTI Renato Archer está reconhecendo publicamente estes saberes e competências. À medida que mais colegas quiserem compartilhar suas experiências, será possível ter uma base de dados cada vez mais robusta de saberes e competências para que, no futuro, seja possível reconhecer o esforço de cada um naquilo que é seu diferencial profissional, independentemente de títulos. Espera-se que, dentro em breve, esta compilação de informações possa contribuir para melhorar a forma como o esforço do servidor é reconhecido. O foco deste trabalho é o interesse público, porque permite, efetivamente, identificar e reconhecer a contribuição de cada um para a missão do CTI.

As informações relatadas são colhidas por meio de entrevistas realizadas pela Divisão de Relações Institucionais (DRI), e são validadas pelos servidores antes de serem publicadas. Uma vez realizada a entrevista, cada servidor tem a possibilidade de participar ativamente da construção do texto que lhe diz respeito, e, antes da matéria ser finalizada, ele assina um termo de consentimento que autoriza a sua divulgação. Um dos papeis da DRI é garantir que aquele relato se refere, efetivamente, aos saberes e competências daquele servidor, restringindo as informações, na medida do possível, ao universo próprio daquele profissional.

A construção do relato que contém a história de cada servidor é dinâmica e portanto sujeita a atualizações e ao acréscimo de novos aspectos, à medida que o servidor possa recordá-los e em que haja disponibilidade para esta inserção.

É importante que os(as) colegas saibam que associar saberes e competências a um(a) determinado(a) servidor(a) não significa que, numa próxima entrevista, estes mesmos saberes e competências não possam ser associados a outro(a) servidor(a). É comum existir uma certa sobreposição para saberes e competências, mesmo porque, felizmente, o CTI está estruturado em equipes que trabalham colaborativamente.

Disclaimer - A descrição de saberes e competências aqui presente não exclui a possibilidade de que quaisquer outros servidores venham igualmente fornecer seus depoimentos, mediante manifestação de interesse, dando a ênfase, o foco e a abordagem que lhes parecer mais apropriada, mesmo que venham a identificar em suas atuações saberes e competências já elencadas anteriormente. O presente reconhecimento é cumulativo e não busca a comparação de desempenho entre servidores. A ideia é que todos tenham a oportunidade de se manifestar e contar a sua história profissional, com ênfase na própria dignidade profissional conquistada ao longo de anos de serviço público.

 

Saberes e Competências: importação de bens e serviços


  • Como uma instituição federal adquire bens no exterior, no contexto de um marco regulatório de compras públicas concebido inicialmente para a contratação de obras?
  • Como garantir que esta aquisição vai ocorrer em prazos adequados, com qualidade e de acordo com a especificação do requisitante?
  • Qual é o profissional que consegue traduzir a expectativa de aquisição, por parte de um cientista, em um processo administrativo que efetivamente vai redundar na aquisição?
  • Como garantir que este processo administrativo está de acordo com os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade e publicidade?
  • Qual é o profissional que funciona como interface entre a necessidade de aquisição de bens no exterior e os fornecedores internacionais?
  • Qual é o profissional que tem que lidar com toda a complexidade documental relacionada aos vários entes envolvidos com uma aquisição?

A aquisição de bens e serviços é uma área crítica de qualquer organização. Garantir prazos, qualidade, adequação aos requisitos, baixo custo e uma boa comunicação intra e extra corporis é um grande desafio, mesmo no setor privado.Peças de quebra-cabeça espalhadas pelo chão com a silueta de cada pessoa em cima, mostrando que a organização é um mosaico de competências

No setor público, esta atividade adquire contornos muito mais complexos, uma vez que, além dos requisitos citados, há a necessidade de realizar toda a atividade observando os critérios de legalidade, impessoalidade, moralidade e publicidade (LIMP), os quais, embora muito importantes no contexto de uma atividade pública, num certo sentido, acabam por concorrer com os princípios da eficiência e eficácia. Um profissional de compras de uma instituição pública tem que encontrar um bom equilíbrio entre estes aspectos concorrentes, além de ter uma conduta orientada a processos, para que toda a sua atividade possa ser rastreada e verificada pelos órgãos de controle. Ao fim do trabalho, estes processos todos devem levar a uma compra de qualidade.

Neste contexto, a aquisição de bens no exterior é uma das atividades mais complexas da administração pública, uma vez que é uma interface entre o marco regulatório brasileiro e as práticas comerciais internacionais, que muitas vezes são totalmente diferentes da realidade nacional.

Portanto, o profissional envolvido com a aquisição de bens e serviços no exterior, além de ter os compromissos com o LIMP acima mencionados, tem também, que ser capaz de enquadrar as necessidades por bens importados em uma legislação de compras públicas que não foi originalmente desenhada para tal.

O CTI teve que empreender um grande esforço, ao longo de sua história, para estabelecer um sistema de compras eficiente e aderente ao marco regulatório federal, que continuamente fica mais complexo por conta de alterações constantes.

Talvez os colegas mais antigos se lembrem de um período no qual, por conta de alterações na legislação, principalmente a partir do início da década de 90, o CTI passou a ter grandes dificuldades para realizar aquisições, o que impactou muito a capacidade da instituição de entregar seus resultados para a sociedade. Em particular, a aquisição no exterior foi uma das áreas mais afetadas.

Muitos profissionais do CTI tiveram que se dedicar ao estabelecimento de novas práticas de aquisição, revendo a formalização dos processos administrativos, obtendo novas autorizações, entre outras atividades.Nesta edição, abordaremos as histórias de colegas cuja atuação está relacionada à áreas de compras e importações. Conheçam aqui as experiências de Aparecida Maria Ferreira (Dininha), Ana Paula Ehrhardt de Oliveira, Elizabeth de Souza e Márcio Cappa.

Entrevistas

Foto Ana Paula


Entrevista com Ana Paula Ehrhardt de Oliveira (saiba mais...)

FotoDininha

Entrevista com Aparecida Maria Ferreira -Dininha (saiba mais...)

Foto Beth


Entrevista com Elizabeth de Souza (saiba mais...)

Foto Capa

Entrevista com Márcio Adilson Cappa (saiba mais...)

 


Página 10 de 175


Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer - CTI - CNPJ: 04.822.500/0001-60
Rodovia Dom Pedro I (SP - 65) Km 143,6 Bairro: Amarais - Campinas (SP) CEP: 13069-901
Telefone: (0xx-19) 3746-6000 / Fax (0xx-19) 3746-6028